Opinião

Graça Martins

"Queremos o futuro, e temos pressa"

Marisa Matias é escrever o destino para além dos conformismos, dos receios, das correntes que nos aprisionam aos “ismos” que nos rompem a lucidez.

António Gomes

Eleições à porta e a abstenção à espreita

Com a abstenção andamos para trás, diminuímos a Democracia.

António Gomes

Resíduos Urbanos

Nos últimos anos Portugal tem servido de caixote do lixo da Europa

Graça Martins

Elogio às Cigarras

“A formiga avisava-a que não ia haver comida em breve.

A cigarra continuava a cantar”

Roberto Barata

Orçamento e eleições

Em todo o documento do Orçamento Municipal para 2021, contam-se pelos dedos da mão a referência à pandemia e a necessidade de a enfrentar.

António Gomes

É mesmo feitio!!

PJ, porto da Bácora, painéis publicitários, mobiliário urbano, contratações para as escolas...

Não é defeito, é mesmo feitio

Roberto Barata

Horários de trabalho e horários da escola

Fica, mais uma vez, um sabor agridoce. Numa iniciativa com mérito conseguem deixar este detalhe importante esquecido.

É apresentado um documento, que não cumpriu os prazos estabelecidos em contrato, com informação relevante desactualizada, que repete informação a que já temos acesso, incompleto no diagnóstico, com referências falsas sobre o a história do concelho e ainda por cima com fracas soluções para a dimensão do problema habitacional do concelho.

A questão foi colocada ao Presidente da Câmara, por Rui Alves Vieira na última Assembleia Municipal. A resposta foi "nim" e o rio continua desprezado.

Como vai o senhor presidente explicar aos torrejanos que foram gastos centenas de milhares de euros numa obra de reabilitação da envolvente do rio Almonda, deixando para trás o aspecto essencial dessa obras e razão de tudo o que foi feito, que seria a limpeza do leito do rio?

Saiba como decorreu a visita, leia o relato de Ana Costa e Dina Sá

Intervenção de Rui Alves Vieira na Assembleia Municipal:

«Tudo isto para dizer que a importância deste Plano Municipal deveria, a bem da transparência, ser merecedor de uma apresentação formal por parte dos responsáveis operacionais da Protecção Civil envolvidas na elaboração do documento porque, só nestas condições, se poderia apreciar com clareza e votar em consciência todos os pressupostos deste documento

É do conhecimento geral que as instalações da empresa estão ao abandono e que a ETAR é um perigo público, para a saúde e para o ambiente, pois continua a receber efluentes altamente poluentes e apesar de encerrada as descargas para o meio ambiente continuam.

Páginas